O BLOG DE MARKETING DA ZNIT

Encontre-nos nas redes:

Uso das cores na Identidade Visual

As cores ainda representam as mesma coisas que antigamente? Muitos clientes chegam com esse tipo de dúvida na hora de criar uma identidade visual. Confira.


Publicado em 18 de maio de 2020
alt""

As cores ainda representam as mesmas coisas que antigamente? Muitos clientes chegam com esse tipo de dúvida na hora de criar uma identidade visual. Isso porque no passado havia uma forte tendência de designar cada cor para um determinado nicho. Porém, com a evolução do meio digital e das ferramentas de produção é possível encontrar identidades visuais que fogem da “normalidade” das cores. Essas marcas que “fogem do comum”, acabam impactando visualmente muito mais do que se seguissem a “regra” das cores.

Porém é importante ressaltar que isso não muda o fato de cada cor despertar no cérebro um tipo de sensação diferente –  o vermelho, por exemplo, continua estimulando o apetite e por isso é muito utilizado para identidades visuais no meio alimentício.

A regra é não ter regras

Costumo dizer que na elaboração de peças ou de alguma identidade visual, a regra é não ter regras. Cada símbolo, cada tipografia tem sua particularidade e é nessa hora que a criatividade do Diretor de Arte tem que florescer. Conseguir identificar qual combinação de cores é atrativa e assertiva para o público-alvo do cliente é um dos grandes desafios desses profissionais.

No universo das cores existem infinitas combinações. E se engana aquele que pensa que cores que “aparentemente não combinam” nunca poderão ser utilizadas em um mesmo trabalho. Retomo o que disse anteriormente, tudo depende da criatividade e do nicho que a marca quer se destacar.

Assim, para facilitar o entendimento existem algumas combinações de cores que podem te ajudar durante a criação de sua identidade visual. Existem as cores complementares, análogas, monocromáticas – essas são apenas algumas dentre diversas nomenclaturas que deixariam esse pequeno texto algo grande.

Fazendo um breve resumo dessas que citei:

Cores Complementares:

São aquelas que aparentemente oferecem mais contraste entre elas.

Cores Análogas:

São cores, tons que se aproximam entre eles: como um Amarelo Canário, Amarelo Sol e Amarelo bebê.

Cores Monocromáticas:

Algumas pessoas acreditam que cores monocromáticas são apenas o preto e branco, mas não, qualquer cor pode ser monocromática. O círculo cromático demostra essa diferença entre as cores monocromáticas e análogas, pois existe uma “breve” coincidência entre elas que é a proximidade dos tons.

Claro que nos estudos das cores existem muito mais informações para se entender o significado, o uso, a aplicação ou qualquer outra utilização das mesmas, mas era esse começo que eu queria passar pra vocês hoje. Para praticar e montar paletas com base nessas combinações que mencionei, use a ferramenta do Adobe Color e solte a criatividade.

Por fim, quando for dar vida à sua marca e a sua empresa, deixe seu diretor de arte “viajar”. Existe uma grande possibilidade dele te entregar algo 100% novo e benéfico tanto para você, quanto para o público que deseja alcançar. Ou seja, mesmo que você já tenha uma ideia fixa que aparentemente é perfeita para você, deixe o profissional criar.

Caso queira sentar, tomar um café e conversar um pouco sobre esse universo imenso das cores e identidades visuais, as portas da Znit sempre estarão abertas.

Aquele abraço e lave as mãos. ;*

Não perca mais nenhuma novidade!

Assine nosso blog para receber os melhores conteúdos sobre marketing e vendas.